Nos últimos tempos houve uma grande alta de ataques cibernéticos. Com isso grandes empresas tiveram incidentes de acessos sequestrados. Como Lojas Renner, Nvidia, Atento, e entre outros…

Conforme observado pela Cybersecurity Ventures, prevê-se que os danos cibernéticos se totalizaram em até US$ 6 trilhões globalmente em 2021, fazendo com que até 2025 chegue a um valor aproximado de US$ 10 trilhões.

Na verdade, os ataques estão aumentando a cada dia. Pois bem, o alto lucro desse crime também aumenta o número de cibercriminosos que o utilizam para ganhar mais dinheiro. Afinal, o golpe não exige muitos problemas, pois muitas empresas não investiram em segurança da informação, e há muitas brechas. Além disso, como a maioria das PMEs (Pequenas e Médias Empresas) ainda não se comprometeram com operações de segurança cibernética, os criminosos aproveitam a oportunidade para explorar as fraquezas existentes.

É importante observar que todas as empresas, independentemente do tamanho e do setor, são vulneráveis e podem ser alvo de ataques como ransomware.

Para que não haja grandes percas tanto para sua empresa quanto em seus clientes, o serviço de backup, softwares de proteção contra ameaças, filtragem web e gerenciamentos de patches são essenciais.

Saiba que não há solução anti-ransomware. Afinal, os cibercriminosos estão cada vez mais dedicados e, embora existam muitas opções hoje, em poucos dias, estará completamente obsoleto. Embora não existam ferramentas para eliminar o risco desse problema, é cada vez mais importante investir em uma solução mais robusta que o antivírus comum, como, por exemplo, o EDR (Endpoint Detection and Response). Porque o software pode não apenas detectar ameaças e vulnerabilidades, mas também identificar possíveis alterações antes do bloqueio e todo o rastreio de como a ameaça chegou até o dispositivo.

Além disso, o clássico antivírus só reconhece como ameaça o que está catalogado em sua base de dados e não observa o comportamento do software, o que normalmente gera a execução de códigos maliciosos sem o bloqueio do antivírus, temos também o Next Generation Antivírus que trabalha de uma maneira mais proativa, analisando ataques de uma escala mais complexa e que normalmente os antivírus clássicos não detectariam, visto que não estariam em sua base de dados. No entanto, o software EDR procura ativamente por ameaças potenciais dentro do dispositivo. Dessa forma, ele envia alertas em tempo real quando uma atividade suspeita é identificada.

Qual a diferença entre o Antivírus comum, Next Generation Antivírus e o EDR?

ANTIVIRUS

1. O antivírus pode incluir verificações programadas ou periódicas de dispositivos protegidos para detectar ameaças conhecidas;

2. O antivírus tradicional é apenas reativo, pois se baseia em assinatura e só age quando uma assinatura conhecida é detectada;

3. Ajuda a remover malwares mais básicos (worms, trojans, vírus, adwarespyware etc.); e

4. Aviso sobre sites potencialmente maliciosos.

Next Generation Antivírus

1. O Next Generation Antivirus é preventivo e possuí inteligência artificial e Machine Learning;

2. Ajuda a proteger ameaças mais avançadas; e

3. Analisa o comportamento dos softwares.

EDR

1. O EDR inclui monitoramento e detecção de ameaças em tempo real – incluindo ameaças que podem não ser facilmente identificadas ou definidas pelo software antivírus padrão ou pelo Next Generation Antivírus. Além disso, o EDR é baseado em comportamento, portanto, pode detectar ameaças desconhecidas com base em comportamento anormal.

 2. Coleta e análise de dados para identificar padrões de ameaças e alertar a organização sobre ameaças

 3. Os recursos forenses podem ajudar a determinar o que aconteceu durante um incidente de segurança

 4. O EDR pode isolar e colocar em quarentena itens suspeitos ou infectados. Ele geralmente usa sandboxing para proteger arquivos sem quebrar o sistema do usuário.