WhatsApp é o atual alvo preferencial dos criminosos, tendo em vista ser uma das ferramentas mais utilizadas pelos brasileiros para troca de mensagens, seja no âmbito pessoal ou comercial. Segundo estudo apresentado pela Kaspersky, de todos os links maliciosos reportados a partir do sistema operacional Android, 89,6% deles se concentram no WhatsApp.

 

A ação dos criminosos é facilitada pelo fato de que três em cada dez brasileiros não sabem reconhecer uma mensagem falsa, permitindo que as mensagens maliciosas tenham um potencial de alcançar uma quantidade elevada de pessoas de forma rápida.

 

Abaixo listamos os 2 golpes mais comum.

1. Links maliciosos

Geralmente, esses links são enviados com informações que te trazem uma vantagem boa demais para se acreditar.

Os exemplos de link são: Saque do FGTS, entrega grátis de um super almanaque da Turma da Mônica, acesso vitalício a Netflix ou Spotify de graça, material escolar gratuito e até vagas de emprego.

 

 

2. WhatsApp clonado

Para clonagem do WhatsApp acontecer, é necessário que o golpista tenha acesso ao código de verificação enviado por SMS. Para conseguir esse código o golpista se passa por uma empresa conhecida no mercado e entra em contato pelo próprio WhatsApp, as vezes por ligação, afirmando que houve um suposto erro no sistema ou que está fazendo a validação do usuário, e que será resolvido ao informar o código que foi enviado por SMS.

Esse SMS recebido é um código de verificação do número que está vinculado o WhatsApp e normalmente é utilizado quando trocamos de aparelho celular, ao passar o código para um terceiro lhe é cedido acesso a todas as mensagens e contatos existentes.

 

 

Pode parecer bobo, mas esse golpe é mais comum do que se imagina. Ao conseguir acesso aos contatos, o criminoso se passa pela vítima que perde acesso do seu dispositivo e passa a pedir dinheiro geralmente com alguma história que os amigos e familiares acabam caindo e muitas vezes perdendo quantias significativas em dinheiro.

 

Como se proteger dos golpes?

De acordo com a Kaspersky, segue algumas dicas para não ser vítimas de tentativas de phishing pelo WhatsApp:

  • Preste atenção a esquemas de corrente e evite compartilhar links suspeitos com seus contatos;
  • Não confie em mensagens com muitos erros de ortografia ou que apresentem links com formatos incomuns;
  • Mesmo que um contato seja conhecido, desconfie de mensagens que prometem promoções imperdíveis e possuem textos que demonstrem urgência. É possível que ele tenha sido vítima de um golpe que roubou sua conta para espalhar mensagens maliciosas;
  • Instale soluções de segurança e as mantenha atualizadas: as melhores bloqueiam links inseguros e impedem que seus dados sejam comprometidos.

 

Para complementar, o analista sênior de segurança da Kaspersky Fabio Assolini, fala sobre alguns outros métodos que devem ser adotados pelos usuários

  • Altere as configurações de privacidade para que sua foto seja mostrada apenas para seus contatos;
  • Não use a mesma imagem em todas as suas contas. Caso os criminosos peguem uma foto diferente, seus contatos mais próximos podem desconfiar;
  • Jamais compartilhe dados pessoais por meio de ligações ou mensagens e nem insira em sites que não confia.

 

Ficou interessado e quer saber mais sobre golpes e cibersegurança? Entre em contato que um de nossos especialistas tirará todas suas dúvidas e te ajudará a escolher o produto que mais atende suas necessidades.