Primeiramente vamos relembrar o que são vulnerabilidades quando falamos em segurança cibernética, e nada melhor do que pegar a explicação de uma normativa que é referência, segundo a ISO 27k vulnerabilidades são: “fraquezas de um ativo que pode ser potencialmente explorado por uma ou mais ameaças”. E como todos sabemos, ativos não são apenas os computadores e dispositivos. As empresas possuem 3 pilares importantíssimos onde podemos encontrar vulnerabilidades, esses pilares são: Pessoas, Processos e Tecnologia.

Agora, com essa informação em mente, vamos ver algumas das vulnerabilidades mais comuns e como podemos corrigi-las.

 

Quais são as vulnerabilidades mais comuns?

Para nos protegermos contra ameaças, precisamos conhecer como essas ameaças atuam e exploram as vulnerabilidades encontradas, porém, como isso ficaria impossível de descrever, vamos falar do que mais temos visto atualmente.

 

  • Falhas humanas

Bom, esse é o pilar mais suscetível a ataques e o mais difícil de proteger, pessoas são o ativo mais importante para qualquer organização e o mais vulnerável, os erros humanos, seja por falta de conhecimento ou desatenção, podem facilmente expor dados confidenciais, interromper sistemas ou até mesmo criar pontos de acesso exploráveis para invasores, então é necessário que os usuários sejam treinados principalmente a reconhecer tentativas de ataque de engenharia social e tratar dados confidenciais.

 

  • Hardware e software desatualizados

Seja hardware, sistema ou aplicativos, estão em constante evolução e necessitam de atualizações e trocas periódicas, pois quando desatualizados acabam nos expondo a riscos de segurança que vão desde roubo de dados e sequestro de informações até utilização por cibercriminosos para atacar outros ambientes e minerar criptomoedas. Uma maneira de mitigar os riscos é sempre atualizar seus dispositivos, seu sistema operacional e seus aplicativos.

 

  • Vulnerabilidades de Rede

Sejam redes Wi-Fi, LANs, VLANs, switch, firewalls, roteadores, seja qual for o dispositivo ou tipo de rede, se mal configurados, irão apresentar um risco enorme a organização, abrindo diversas portas (literalmente) para ataques e representando grandes e diferentes riscos para toda organização, por exemplo, utilizando o firewall, publicar a porta RDP de um servidor para acesso externo e liberar para toda internet, onde diversos atacantes tentarão o acesso via força bruta. Nesse cenário o mais recomendado é contar com uma equipe capacitada e ter os processos de segurança bem definidos.

 

  • Credenciais de segurança

Embora todos saibamos a importância de adotar senhas fortes, poucas pessoas de fato adotam senhas ou criam políticas para isso, se submetendo a riscos desnecessários. Uma maneira de mitigar esse risco é utilizando gerenciadores de senha, onde só precisamos usar uma senha mestre para desbloqueio e conseguimos guardar senhas para cada uma das aplicações, sendo assim, teremos diversas senhas diferentes e fortes sem precisar lembrar de todas elas.

 

Como reduzir as vulnerabilidades de segurança?

Para diminuir significativamente as vulnerabilidades de segurança algumas medidas podem ser tomadas, elas incluem:

  • Uso de sistemas de monitoramento de infraestrutura e de rede;
  • Criação de políticas de controle de acesso restritivas;
  • Definição de processos de atualização de softwares;
  • Treinamento dos usuários;
  • Criação de um processo de backup de dados contínuo;
  • Adoção da autenticação múltiplo fator;
  • Treinamento de profissionais com a divulgação de boas práticas de segurança digital;
  • Investimento em SaaS ou Cloud Computing;

 

Essas medidas podem te auxiliar a diminuir os riscos e vulnerabilidades de segurança, entretanto saber o que são vulnerabilidades é apenas o primeiro passo para a empresa ser mais segura.

 

A PDG IT pode te ajudar a entender quais são suas maiores ameaças à segurança e como se proteger de forma eficiente.