A partir de 5 de outubro, o Windows Update começará a oferecer o Windows 11 como uma atualização opcional para usuários do Windows 10 com hardware mais recente e compatível.

No entanto, os usuários do Windows 7 precisarão realizar uma instalação limpa usando uma unidade USB com a ISO do sistema para atualizar para o Windows 11.

Segundo a Microsoft, no dia 31 de agosto, informou que a atualização será dividida em fases

“A atualização gratuita para o Windows 11 começa em 5 de outubro e será dividida em fases e medida com foco na qualidade. Seguindo o enorme aprendizado do Windows 10, queremos ter certeza de que estamos fornecendo a você a melhor experiência possível”, explicou a Microsoft em uma postagem de blog publicada hoje.

“Isso significa que os novos dispositivos qualificados receberão a atualização primeiro.”

A Microsoft espera que o lançamento da oferta de atualização gratuita do Windows 11 seja concluído em meados de 2022.

 

Requisitos de sistema do Windows 11 mais rígidos

Quando o Windows 11 foi anunciado pela primeira vez, a Microsoft lançou novos requisitos de sistema para atualizar para o novo sistema operacional, com isso muitas CPUs não serão capazes de executar o Windows 11.

Por exemplo, quase todas as CPUs Intel 7ª geração e AMD Zen 1 são incompatíveis com o Windows 11 e não serão oferecidas a atualização. A único CPU Intel de 7ª geração que a Microsoft recentemente marcou como compatível é o Intel Core 7820HQ, que coincidentemente é a CPU que alimenta os dispositivos Surface Studio 2 da Microsoft.

Entre os requisitos de sistema requeridos está incluso processador de segurança TPM 2.0 e CPUs mais recentes que comprovadamente fornecem uma experiência mais confiável e sem falhas ao executar o Windows 11, veja lista completa de CPUs Intel e AMD compatíveis.

O Windows 11 vem com novos recursos

Para aqueles que aguardam ansiosamente o lançamento do Windows 11, informamos que ele vem com novos recursos e uma interface de usuário totalmente redesenhada.

A atualização da interface do usuário (Sun Valley), consiste em cantos arredondados, fundos transparentes (como do Windows 7), suporte para animações, movimentos, iluminação aprimorada entre outras.

A mudança mais significativa é o novo Menu Iniciar, que agora será centralizado por padrão, porém para aqueles que preferem o menu Iniciar alinhado à esquerda, o Windows 11 permitirá essa configuração. Ah! A barra de tarefas também mudará ficando semelhante ao do Windows 10X (versão light do Windows, para surface).

Outros recursos destacados incluem:

  • Um recurso de widgets que oferece acesso rápido a notícias personalizadas, previsões do tempo, informações sobre o mercado de ações e muito mais.
  • Um novo recurso Snap Layouts que permite organizar rapidamente suas janelas abertas como você gosta delas.
  • O Microsoft Teams agora está integrado diretamente no Windows 11.
  • Suporte DNS sobre HTTPS para permitir pesquisas de DNS criptografadas para mais privacidade e para contornar a censura.
  • Uma interface de usuário otimizada para o Windows 11 File Explorer.
  • Uma interface de configurações atualizada e mais organizada.
  • Desktops virtuais aprimorados.
  • Uma nova área de transferência do Windows.
  • Suporte aprimorado para jogos HDR.

 

O que não teremos na nova versão?

 

Embora o Windows 11 esteja repleto de novos recursos, infelizmente, alguns recursos do Windows 10 que usuários passaram a amar ficaram fora do novo sistema operacional.

Vejamos alguns desses recursos.

  • Você não pode mais clicar com o botão direito do mouse na barra de tarefas para abrir um menu de contexto para iniciar o Gerenciador de Tarefas, mostrar a área de trabalho ou acessar várias configurações;
  • Outro recurso que ficou de fora foi a capacidade de desagrupar janelas abertas para o mesmo aplicativo. Por exemplo, o Windows 10 permite que você mostre todas as janelas abertas do Bloco de notas na barra de tarefas, já o Windows 11 as combinará em uma única entrada;
  • Também não será permitido que se arraste um arquivo em uma janela da barra de tarefas aberta para iniciá-lo automaticamente.
  • Com o Windows 11, você não poderá mais mover a barra de tarefas para parte superior ou laterais, você só pode ter a barra na parte inferior, mas pode ajustar o menu Iniciar, para que fique centralizado ou à esquerda;
  • A Microsoft removeu ainda a seção de eventos, que listava os eventos e lembrete do dia selecionado, ao clicar em data e hora, do Windows 10, exigindo agora que os usuários os visualizem no aplicativo Calendário ou usando a opção ‘Calendário’ na nova seção Widgets.

 

Para aqueles que usam esses recursos regularmente, provavelmente achará um pouco difícil de se acostumar com a nova versão, contudo felizmente, a Microsoft está ciente dessas preocupações e, com sorte, adicionará os recursos ausentes em futuras versões do Windows 11.

Quer saber mais, entre em contato conosco.